Co-criadores do nosso caminho

20141027

Bom dia! Depois de um fim-de-semana muito forte e extraordinário, onde partilhei muitas horas de aprendizagem, de luz, de amor fraterno e uma profunda consciência espiritual com pessoas maravilhosas desta e de muitas outras vidas. Para mim, todas estas pessoas com quem estive, de uma forma ou de outra, são mestres no meu caminho, pois o mestre é aquele que pelo seu exemplo mostra-me o caminho, seja em que sentido for.

Ao pensar no que poderia trazer para esta reflexão semanal, nomeadamente agora que Mercúrio deixou de estar retrógrado, em que a Vénus se afasta do Sol para se juntar a Saturno, em Escorpião, e Marte aproxima-se de Plutão, em Capricórnio, surgiu-me esta forte ideia de reconhecer que a vida nos coloca nos locais certos e nos momentos exactos, com as pessoas e as circunstâncias que nos vão permitir extrair a essência para podermos crescer. Nem tudo são rosas, é verdade, nem tudo é simples e directo, por vezes o caminho é duro, mas quando nos permitimos ligar todas as dimensões do nosso ser numa sintonia maravilhosa que é a do nosso Eu, conseguimos ver, como Jacó no meio do deserto, que em todas as situações, nomeadamente as mais difíceis e duras, está Deus; até nelas a Fonte Eterna jorra, trazendo-nos a beleza do Divino. Quando conseguimos compreender e aceitar que os desafios, as pedras no caminho, como Fernando Pessoa descrevia, são o que mais nos faz crescer, conseguimos extrair do nosso interior emocional, das nossas entranhas, todas aquelas barreiras que estão profundas e que são os pesos que não nos permitem avançar. Ao fazê-lo, transformamos em Luz todas essas coisas e elevamos a nossa consciência a níveis superior, fazendo o sublime trabalho de aceitação e gratidão que, aos olhos dos comuns mortais, é tão, mas tão difícil.

O desafio desta semana, entre outros, é reconhecer que o nosso caminho, individual e colectivo, é parte de um plano muito superior, do qual nós próprios somos co-criadores, e que nos cabe a nós, com o nosso livre-arbítrio, escolher cada parte do caminho, sermos parte activa, mas trabalhar no sentido de podermos, em cada momento, trazer mais Luz para este planeta do qual somos os principais responsáveis, a nossa Terra. Dessa forma, podemos transformar as nossas vidas, transformando-nos activamente, largando a vitimização, a culpa e o medo, tal como nos ensina a maravilhosa mensagem da carta XII – O Dependurado. Acima de tudo, sinta estas palavras, sem pensar, sem racionalizar.

Boa semana!

Outros Artigos

Deixe o seu comentário