Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

As Escolhas dos Outros

20141110

Bom dia!

Todos os dias somos confrontados com escolhas, com caminhos que se desenham à nossa frente, onde bifurcações constantes são-nos apresentadas, materializadas em concretas decisões que, todos os dias, temos de fazer. Na semana que passou, do início ao fim, deparei-me com uma parte deste nosso percurso que me levou a esta reflexão. No nosso caminho entrecruzam-se outros caminhos e, tantas e tantas vezes, para além das nossas escolhas, temos de nos confrontar com as escolhas dos outros.

Contudo, as escolhas dos outros, sejam eles filhos, maridos, mulheres, companheiros ou companheiras, amigos, conhecidos ou até colegas de trabalho, são, como o nome indica, dos outros, não nossas, e, quando nos confrontamos com elas, existe um desafio que temos de vivenciar. Ainda que nos custe ver alguém a sofrer ou a vivenciar um caminho pesado, um dos grandes desafios que temos nas nossas vidas é o de aceitar as escolhas de cada um, pois quando tentamos orientar (ou deveria escrever, condicionar) alguém para o que nós achamos correcto, ainda que com toda a boa vontade do mundo, ainda que, supostamente, por amor, estamos, na realidade, a viver uma energia de apego e de medo. Amar, verdadeiramente, é aceitar a escolha de cada um sem qualquer tentativa de influência. É, simplesmente, respeitar o seu livre-arbítrio. Sim, eu sei que não é fácil (o ser humano gosta muito desta expressão “não é fácil”).

Quando as escolhas dos outros se cruzam com as nossas, estamos a ser colocados num desafio de aceitação e desapego, de necessidade de vivência de um amor muito mais profundo do que o simples amor terreno, condicionado e interesseiro. Seremos sempre mais livres consoante aceitarmos a liberdade de todos aqueles que nos rodeiam, de todos aqueles que amamos. É com essa energia que poderemos avançar no nosso caminho, no nosso propósito de vida. Parece uma contradição, mas é uma verdade que só nos pede que sejamos capazes de nos colocar de fora, no outro lado, da questão, olhar para tudo pelos olhos do outro, pois apenas dessa forma poderemos sentir por ele um verdadeiro amor e nos desapegarmos de vícios, dependências e controlos.

Boa semana!

Related Posts

Leave a comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

X