Em Perfeita Sintonia

20150309

Boa tarde!

Quando olhamos para tudo o que nos rodeia e nos permitimos observar, sem julgamento ou crítica, compreendemos que o Universo é uma espécie de mecanismo extraordinariamente perfeito, em que tudo está alinhado de forma única e singular. Tudo flui, tudo surge, tudo acontece, porque assim é, porque assim foi desenhado para ser. Não significa, no entanto, que num qualquer momento, não surja um novo factor ou uma nova barreira a transpor, um qualquer dado que é adicionado a esta equação e que a transforma por completo, ao mesmo tempo que a aperfeiçoa e a faz evoluir.

Assim como é no Universo e na Natureza à nossa volta, também o é connosco, nas nossas vidas mas também no próprio funcionamento do nosso corpo. Cada situação tem um propósito, um fim em si mesmo, de nos fazer crescer, de nos fazer superarmo-nos a nós mesmos. Contudo, o nosso primeiro instinto é o do controlo, por vivermos no medo de sair da nossa zona de conforto, com medo de perdermos aquilo que nunca, na realidade, possuímos de todo. Quando percebemos que cada situação é mais uma parcela duma equação verdadeiramente perfeita, abraçamos o desafio e agarramos a oportunidade que esta experiência nos está a dar para crescermos, para cumprirmos o nosso propósito.

Pelo contrário, outros há que, deixando tudo andar, dizem que é a vontade de um ser superior que lhes traz um obstáculo ao qual se resignam e que depois transformam em vitimização, amplificando sofrimento, raiva, inveja e rancor.

Deixar fluir é diferente de deixar andar. Aceitar calmamente o desafio não é encostarmo-nos à espera que algo o resolva, é compreender o porquê dele estar a ser colocado nas nossas vidas, é entender que Deus, a Fonte, o Universo ou qualquer outro nome não nos coloca obstáculos por puro divertimento, mas sim porque, em qualquer momento, eu, enquanto Alma, quis fazer um percurso, quis fazer uma aprendizagem, e cabe-me a mim cumprir esse mesmo caminho.

Aceitação é estar em perfeita sintonia com o Universo, permitindo-me viver em paz comigo mesmo, com as minhas escolhas e com os meus desafios. Aceitar uma situação na minha vida é entender que ela é o fruto de uma semente que um dia plantei, que recusá-la é deitar fora a matéria-prima da minha própria transformação e, no seu lugar, deixar uma brecha que será ocupada por sofrimento, sombra e medo, amplificada pela manipulação, controlo e vitimização que, invariavelmente, vou manifestar.

Na semana em que Úrano, em trígono a Júpiter, vai ter a visita de Marte e alinha-se para a perfeita quadratura a Plutão, uma semana, no mínimo, explosiva, esta é uma compreensão que se pode transmutar numa divina aprendizagem e num divino conhecimento, saibamos nós, com Saturno prestes a entrar em movimento retrógrado, viver na humildade da partícula de pó que, em comparação com o Universo, somos. Como dizia a Madre Teresa de Calcutá: «Eu sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele o oceano seria menor.» Então, que cada um de nós, com a consciência do que é, possa fazer, apenas e unicamente, a sua parte, e estar em perfeita ligação e sintonia com a Fonte.

Boa semana!

Outros Artigos

Deixe o seu comentário