Conexões dos Signos para Maio

Conexao201505

Um novo mês e novos desafios nos chegam! Depois de um mês um pouco menos movimentado, mas que terminou com uma intensidade energética muito grande, é agora tempo de nos reajustarmos e de nos focarmos, abraçando e compreendendo os desafios que nos têm sido apresentados. É exactamente esta energia que as mensagens de conexão do Tarot nos trazem para Maio.

As Conexões para a energia dos Signos trazem-nos, juntamente com a energia do Tarot, mensagens, orientações e ideias para as doze dimensões do Ser que estão sempre a operar connosco. Através destas conexões, poderão ver a mensagem quer para o Signo Solar (o “nosso” signo), quer para o Signo Ascendente (se for diferente), e compreender ainda melhor o trabalho a fazer neste mês! Para além da Conexão dos Signos, e já para começar, uma mensagem geral para os próximos dias!

 

Maio

No mês que passou fomos confrontados com uma das mais intensas e profundas leis do Universo, a do dar e receber! Contudo, neste mês, o trabalho a que somos solicitados é um pouco diferente, até porque as próximas semanas serão pautadas por um conjunto de ligeiros mas muito incisivos ajustamentos energéticos que nos colocarão frente a frente com algumas questões muito nossas mas que, ao mesmo tempo, nos poderão deixar um pouco perdidos ou desconfortáveis, ou não tivéssemos como energia dominante, neste mês, a energia do Louco. Esta carta, que para muitos poderá trazer grandes confusões e inconstância, tem como grande propósito um trabalho profundo sobre a nossa própria essência. Depois de tudo o que temos vindo a viver, depois de todas as conclusões e revelações a que temos chegado, é tempo de compreendermos qual o caminho que queremos seguir e começar a dar os primeiros passos. No entanto, os primeiros passos de um novo caminho são sempre os mais difíceis, pois existe uma insegurança que nos bloqueia, que nos prende à nossa zona de conforto. O Louco pede, então, para nos permitirmos arriscar, para nos libertarmos das amarras do ego, dos medos, das dúvidas e dos apegos, seguirmos em direcção ao que a nossa Essência nos transmite como verdadeiro! Apenas quando confiamos, porque estamos sintonizados com o que o nosso coração nos diz que é o caminho, com uma total e absoluta fé em nós mesmos, é que podemos arriscar, verdadeiramente, ser felizes. Maio é um mês intrinsecamente ligado à Fé, e Fé é tão simplesmente acreditar, deixando o coração falar e ouvindo-o, ainda que tudo à nossa volta indique o contrário.

Carneiro

Se no mês passado era preciso focar a nossa energia vital e direccioná-la, este mês o Cavaleiro de Espadas pede-nos um trabalho semelhante com a nossa energia mental. Quando os nossos pensamentos não têm uma direcção nem um foco, desgastamos energia e alimentamos os nossos medos, as nossas dúvidas e guerrilhas desnecessárias. Vivemos num mundo onde, nos dias que correm, a diabolização da energia mental é generalizada, dando-nos uma imagem errada da mente. No entanto, a mente é uma aliada maravilhosa, pois é através dela que podemos e devemos conceptualizar e criar os caminhos da nossa vida, é através dela que desenhamos os nossos projectos e ideias. Sem ela, a nossa passagem por este planeta seria muito semelhante a de todos os outros seres maravilhosos que nele habitam, mas muito pouco criativa ou evolutiva. Então, neste mês, é-nos pedido que saibamos respeitar os nossos pensamentos e focarmo-nos no que é importante. Quando assim o fazemos, somos capazes de romper todas as amarras e rasgar todas as barreiras que nos impedem de encontrarmos o nosso caminho. A nossa mente é como um cavalo bravo. À solta, ele vai para onde quer, corre por correr, é livre! Contudo, quando criamos uma ligação com ele, respeitando e preservando a sua liberdade, ele leva-nos com garra e determinação onde pretendemos chegar. Da mesma forma, quando nos sintonizamos com a nossa essência, a mente torna-se uma poderosa aliada e não um factor de dispersão.

Touro

Touro continua com energias maravilhosas nas suas conexões. Depois de um mês tão emocional, onde fomos chamados a compreender a verdadeira beleza da fé e da esperança, abrindo o nosso coração ao nosso caminho, a Estrela, uma das mais belas e poderosas cartas de protecção do Tarot, vem-nos presentear com a sua maravilhosa energia neste mês de Maio. É tempo de reforçar o trabalho sobre nós mesmos e de compreendermos o grande poder que a fé e a esperança têm nas nossas vidas. Podemos ser muito práticos e até muito terra-a-terra, mas a nossa essência é verdadeiramente emocional e sem esse lado mais sublime do nosso ser, dificilmente conseguiremos encontrar o nosso verdadeiro caminho. É preciso lembrarmo-nos que, assim como uma semente que plantamos, o nosso caminho constrói-se todos os dias, e muito do crescimento inicial é pouco visível, mas essencial! A paciência, a resistência e o cuidar de nós mesmos todos os dias são essenciais para este momento das nossas vidas. Ainda que continuemos a viver os mesmos processos, as mesmas lutas e sintamos, tantas vezes, que o tanto que fizemos ainda não mudou praticamente nada, é a esperança com que todos os dias alimentamos o nosso coração que transformará as ideias e as intenções em realidade. Este mês, tenhamos calma com os nossos processos e compreendamos que não é a pressa que nos levará mais longe, pois, tal como a Natureza tem os seus próprios ciclos, também tudo na nossa vida tem um tempo certo e um momento exacto, e que o Universo só nos dá o que estamos preparados para receber.

Gémeos

Dificilmente Gémeos poderia querer ter uma carta melhor para o mês em que o Sol entrará na sua energia. O Sol é a carta mais luminosa e positiva do Tarot, aquela que nos traz a aurora depois de uma noite cerrada e eleva os raios de Luz para nos aquecer e dar vida. Depois de momentos mais difíceis, de lutas interiores e de momentos de alguma escuridão, é preciso reconhecer que um novo caminho só é possível quando libertamos o nosso próprio Eu, quando reconhecemos o nosso próprio brilho e deixamo-nos orientar pela nossa centelha divina. Quando deixamos de alimentar os nossos medos e dúvidas, deixando para trás as armadilhas do ego e os seus bloqueios, somos capazes de criar coisas maravilhosas na nossa vida. Vencer a nossa sombra não é eliminá-la, mas sim trazer Luz até ela, reconhecê-la como parte essencial da nossa evolução e permitirmo-nos integrar totalmente essa sombra naquilo que é o nosso Eu terreno. Isso permite-nos dar forma às nossas ideias, aos nossos conceitos, trazer para a realidade e materializar aquilo que apenas na nossa mente tantas vezes vagueia. É tempo, por isso, de criar um novo rumo e um novo caminho para as nossas vidas, acreditando em nós e nas nossas capacidades, tendo fé no que o Universo tem mostrado ser o nosso trilho. Apenas com humildade, inocência e a mais profunda entrega poderemos transformar a nossa vida. Apenas com alegria e celebração no nosso coração poderemos, efectivamente, sentir que estamos a viver e não apenas a arrastarmo-nos por esta Terra que tanto tem para nos dar.

Caranguejo

Se o mês que passou trouxe um trabalho de paciência e calma, que tantas vezes é difícil para a energia de Caranguejo, este mês o desafio é muito mais forte, com a Torre a pedir algo muito duro para a nossa energia. Esta é uma das mais difíceis cartas do Tarot, que nos coloca um desafio intenso e forte, muito duro para as emoções contidas e para as estruturas, por norma, muito controladas, de Caranguejo, o desafio de quebrar e destruir tudo o que já não faz parte do nosso caminho. Ao longo da nossa vida, vamos recolhendo e guardando um sem número de coisas que achamos úteis ou às quais vamos ficando habituados. Sem nos apercebermos, carregamos todos os dias com inúmeras coisas que nos bloqueiam, restringem e impedem a nossa caminhada de ser feita. As experiências levaram-nos à dor e ao sofrimento, as perdas deixaram marcas, padrões foram moldados e, sem sequer nos apercebermos, começamos a ser tudo isso, em vez de nós mesmos. Quebrar com toda essa enorme e pesada estrutura é muitas vezes difícil e implica dor, pois temos de olhar para nós e ver esses fantasmas, esse lado mais negro do nosso ser, e permitirmo-nos viver a libertação de tudo o que, dentro de nós, sabemos que já não faz parte da nossa caminhada. Assim como o nascimento implica uma dor, um romper de uma estrutura confortável e protectora, mas que já não se adequa ao nosso processo de crescimento, também agora é tempo de aceitarmos a dor de um renascimento do nosso Eu, permitindo-nos quebrar um ciclo de controlo, de dúvida, de orgulho, de medo, de vitimização, de comparação e de inveja, em suma, de ego, e dando-nos à Luz para uma nova aurora, para um desabrochar da nossa verdadeira essência. A dor é apenas uma forma de aprendizagem, mas quando a vivemos como sofrimento, ficamos fechados em nós mesmos e não nos permitimos ser diferentes, encontrar o nosso caminho e ultrapassarmo-nos a nós mesmos.

Leão

Os desafios da energia de Leão continuam mais localizados no nosso lado interior. Depois de um mês emocionalmente denso, o Eremita pede-nos recolhimento para processar toda essa informação e revelar os próximos passos da nossa caminhada. Embora tenhamos como hábito uma vivência mais exterior, mais brilhante e extrovertida, é dentro de nós, no nosso silêncio, que encontramos as verdadeiras respostas, que revelamos a nossa sabedoria e descodificamos o mapa da nossa grande viagem. Quando vivemos muito para o exterior, quando mostramos algo que, na realidade, não existe dentro de nós, porque temos medo de nos revelar, de que nos magoem ou de que se aproveitem de nós, criamos uma enorme capa, uma verdadeira armadura que, teoricamente, nos defende de tudo. Na verdade, o que criamos é uma barreira que nos protege e defende, mas que também nos impede de avançarmos e de crescermos, pois essa barreira é a memória do medo, do sofrimento e da dor. O que o Eremita nos pede é que nos debrucemos sobre nós mesmos e nos conheçamos, pois é apenas quando nos conhecemos a nós mesmos que compreendemos o porquê de cada situação e de cada vivência na nossa caminhada. À medida que nos conhecemos, conseguimos mandar abaixo, uma a uma, as barreiras que tínhamos necessidade de manter, conseguimos ver naquilo que inicialmente chamávamos de vulnerabilidade, um dos maiores escudos que temos a, verdadeiramente proteger-nos, conseguimos revelar e mostrar, sem medo, o brilho que existe dentro do nosso coração. Este mês, olhemos profundamente para dentro de nós, reconheçamos a nossa essência, saibamos ver-nos, sem dar ouvidos ao mundo exterior, sem nos influenciarmos pelas verdades absolutas dos outros, e revelar o próximo passo da nossa caminhada.

Virgem

A vivência das emoções continua a fazer parte do caminho da energia de Virgem. Se nos últimos meses foi-nos pedido que abríssemos o nosso coração e deixássemos que as nossas emoções fossem a matéria-prima das nossas criações, o Cavaleiro de Copas, para este mês, vem pedir-nos que saibamos aproveitar a vivência dessas emoções que têm vindo a ser trabalhadas e orientá-las para todas essas criações que estão a começar a materializar-se, e outras que ainda povoam o éter. Quando começamos a sentir novas ideias e projectos, a nossa primeira tendência é a de nos dissiparmos em grande vôos e ilusões que resultam em nenhuma acção, em nenhuma concretização, terminando em mais frustração para o nosso espírito excessivamente crítico. O que esta carta nos pede é que sejamos totalmente sinceros com as nossas emoções, o que implica que as temos de sentir, que temos de desfrutar da beleza do nosso lado emocional e das coisas maravilhosas que ele nos permite viver. Isto aplica-se não só aos tais projectos e ideias, mas a tudo nas nossas vidas, pois são as emoções o verdadeiro motor da nossa humanidade. Se, para nós, essa humanidade é um grande propósito de vida, muito aliado ao constante sentido de serviço e dádiva que vivemos, então não é vivendo na racionalidade que vamos conseguir cumprir esse caminho. Este mês viveremos, sem dúvida, um tempo de mais emoções, mas que temos de saber experienciar e permitirmo-nos envolver, pois este momento pede-nos, como num bolo, que misturemos todos os ingredientes que nos foram dados para criar aquela maravilhosa massa que irá levedar e ser cozida, transformando-se, materializando-se naqueles projectos que, sabemos, estão dentro de nós a crescer. Mostremos as nossas emoções, libertemo-nos da crítica e da racionalidade extrema, e, com certeza, muitas respostas e muitas inspirações chegarão nestas semanas.

Balança

Depois de todo o percurso que temos feito nos últimos meses, e com a energia do mês que passou a mostrar-nos capacidades e dons interiores, agora é o momento de, com base em tudo isso, criar um novo início e dar um novo impulso à nossa vida. Tudo o que nos tem sido dado tem servido para montar o grande puzzle do nosso caminho e dar-nos as ferramentas necessárias para podermos decidir e orientar os nossos passos. O que o Mago nos traz, com a sua maravilhosa e impulsionadora energia, é a certeza de que nas nossas mãos, neste momento, está cada passo, cada tomada de consciência, cada decisão, pois ele mostra-nos que em nós, à nossa disposição, estão todas as capacidades, todas as ferramentas e todas as possibilidades. Então, o que pretendemos para a nossa vida deste momento em diante? Qual é o verdadeiro trilho que queremos pisar? Podemos manter-nos na postura mental de idealizar e vivenciar no racional os nossos caminhos, podemos manter também o padrão de estar à procura de um equilíbrio e duma conciliação constante em tudo na nossa vida, mas o que esta forte carta nos diz é que, se queremos mudar o rumo, encontrar uma maior plenitude e uma maior felicidade nas nossas vidas, temos obrigatoriamente de pôr mãos à obra, temos de agir em conformidade com as nossas ideias e com a nossa vontade, criando, dando o impulso a um novo começo, a um novo início nas nossas vidas. Agora é o momento certo para viver, agora é o momento certo para sermos nós, mas tudo depende, única e exclusivamente, de termos a vontade e a determinação de revelar a nossa verdadeira essência.

Escorpião

Mais uma vez, a energia de Escorpião tem um dos mais fortes desafios deste mês, com o 3 de Espadas a pautar o nosso caminho. Depois de tanta libertação e trabalho interior nestes últimos meses, é tempo agora de nos libertarmos do passado, de todas aquelas coisas que nos prenderam e nos limitaram, de todos os padrões, de todos os medos, de todas as dúvidas, de todos os receios e bloqueios, pois, na realidade, ao olharmos, neste momento, para dentro de nós, vamos compreender que tudo isso já não mais nos pertence. Ao vivermos tudo tão intensamente, guardamos também, de forma muito profunda, muitas marcas, muitas memórias, muitos registos que nos vão condicionando ao longo da vida. Com o passar do tempo, todas essas questões vão ficando sedimentadas no nosso coração e, sem nos apercebermos, vão criando bloqueios, obstáculos ao nosso crescimento e evolução. Tudo o que temos vivido nestes últimos anos, mas principalmente nestes últimos meses, tem sido o puxar de todas essas questões para a Luz, arrancando-as das nossas profundezas, por vezes com muita dor, mas permitindo, dessa forma, que sejam trabalhadas, integradas e libertadas, abrindo espaço para o Amor crescer nos nossos corações. É tempo de fazer os perdões que sabemos serem necessários, nomeadamente a nós mesmos, cicatrizar as feridas que temos vindo a insistir em manter abertas, numa tentativa de sermos mais fortes, de, talvez, dessa forma artificial, nos lembrarmos do que nos magoou para que não possamos, mais uma vez, cair no mesmo erro. Não é com mágoa que se cura mágoa, assim como não é com lama que se lava o corpo, é com Amor que podemos mudar a nossa vida, libertarmo-nos do passado e abrir caminhos à nossa frente!

Sagitário

Se no mês passado fomos levados a trabalhar questões que precisavam de ser libertadas, este mês o desafio é bem mais forte, mas também muito mais importante, até porque teremos a energia da Lua, uma das mais desafiadoras cartas do Tarot, a trabalhar connosco. O nosso maior inimigo é e será sempre nós mesmos, nomeadamente quando, na nossa caminhada, somos obrigados a confrontarmo-nos com os nossos maiores medos. Esse é o grande desafio que vamos viver nestas próximas semanas, onde estamos a ser levados a olhar para dentro de nós, a conhecer e a trabalhar profundamente esses medos, as suas origens e o que, na realidade, eles escondem entre os seus véus. O medo é um instinto básico que, quando combinado com a nossa complexidade racional, se torna um verdadeiro bloqueador. Contudo, precisamente por isso, o medo, muitas vezes, é reflexo de grandes capacidades de concretização, de materialização e de realização, de grandes potenciais que residem em nós e que viemos trabalhar e revelar nesta vida. É tempo de fazermos valer uma das maiores e mais belas características do nosso signo, a fé! É com a fé nos nossos corações que poderemos enfrentar e transmutar em nós todo e qualquer medo em Luz e Amor. É também com fé que encontramos a certeza do nosso caminho, a força para continuar, mesmo quando os obstáculos e os problemas parecem estar mais fortes. Fé é acreditar, é confiar, é seguir a nossa intuição, a nossa sabedoria interior, aquela que provém da nossa conexão profunda com a Fonte, com a nossa Origem, e é precisamente isso que a Lua nos vem pedir para estes tempos. Quando o medo, a dúvida ou os problemas surgirem, saibamos olhar para dentro de nós, saibamos ouvir o nosso coração, a nossa intuição, saibamos receber da Fonte as orientações para a nossa caminhada, pois é apenas quando integramos o nosso lado mais racional com a nossa intuição e instinto que conseguimos dar cada passo com a confiança que é necessária.

Capricórnio

Tantos e tantos desafios nos têm sido colocados no nosso caminho, levando-nos a uma profunda e total transformação e regeneração do nosso Eu. Muitas aprendizagens têm sido feitas e muitas mais, sabemos, estão para vir, até porque o nosso espírito de luta não nos permite ficar parados no mesmo sítio muito tempo, quando existem tantas montanhas para serem escaladas e tantos cumes para serem conquistados. Contudo, se tão importante é a conquista, a vitória e o ultrapassarmo-nos a nós mesmos, também igualmente importante é a celebração desses mesmos momentos e compreender que os sentimentos que nos geram são verdadeiro alimento para a nossa alma. É isso que o 3 de Copas nos vem lembrar este mês, que por muitas batalhas que possamos ter, há um momento em que o guerreiro tem de celebrar as suas vitórias e ganhar mais energia para o tempo que há-de vir. Quando celebramos e partilhamos a alegria, o amor, a felicidade, rapidamente compreendemos que tudo isso também se multiplica à nossa volta e a postura mais fechada, mais pessimista, transforma-se na mais profunda fé, na mais bela esperança, na confiança de que novos caminhos nos trarão ainda mais motivos para celebrar. Habituamo-nos, ao longo da nossa vida, a ver as questões pelos mesmos prismas, a pensar que tudo tem de ser obtido através da dor e do sofrimento, sem compreender que, muitas vezes, só temos de abrir o nosso coração para sentir a beleza de tudo o que nos rodeia, abrir a nossa consciência para a beleza da partilha da alegria e, entender que é aí que reside a mais profunda e real prosperidade.

Aquário

No mês que passou foram-nos dadas oportunidades de compreensão e de actuação sobre a nossa própria vida. Olhámos, muitas vezes graças a situações que nos chegaram, para o nosso percurso, para o nosso caminho, e percebemos o que está certo, o que já não faz parte e o que necessita de ser modificado. No entanto, de nada serve apenas perceber, apenas tomar consciência, é preciso também agir, tal como o Carro, a carta que vem orientar-nos este mês, nos diz. Somos os verdadeiros donos das nossas vidas e é necessário, de uma vez por todas, compreendermos e aceitarmos essa responsabilidade, não como um peso ou como um castigo, mas sim como uma bênção. Podermos definir o nosso caminho e actuar sobre ele é uma das mais belas condições do ser humano, mas também a que exige maior consciência e responsabilidade. Olhemos então para trás, para o nosso percurso, e tenhamos a audácia e a capacidade de escolher novos trilhos, novos caminhos, novas direcções, para, nesse mesmo instante, começar a agir em conformidade com essas mesmas escolhas. É o tempo de avançar nas nossas vidas, de dar um rumo e uma direcção ao que consideramos que não está correcto, é preciso deixar para trás as atitudes orquestradas pela nossa zona de conforto e sabermos ser, verdadeiramente, aquilo que a nossa energia nos pede: vanguardistas, originais, únicos! Para o podermos fazer, temos, obrigatoriamente, de assumir a responsabilidade do nosso caminho, sem sobrevalorização do ego, sem atitudes infantis, sem caprichos, mas sim de coração aberto ao nosso caminho, assumindo que cada trilho tem os seus obstáculos, mas que é pela nossa determinação e força, pela certeza de cada escolha, que saberemos, a cada momento, ultrapassar cada problema e integrar essa aprendizagem em nós!

Peixes

Se no mês passado fomos convidados a parar um pouco e a descansar a nossa mente, os nossos processos e as nossas decisões, através de introspecção e dum olhar para dentro muito necessário, este mês a energia é substancialmente diferente. O 8 de Paus é uma carta rápida e intensa, que acelera tudo o que vivemos. De certa forma, o que temos vindo a viver foi a preparação para um conjunto de acontecimentos que estão no nosso caminho, coisas que temos vindo a perceber que se estão a desenhar mas que, na nossa vivência mais emocional, temos alguma dificuldade em materializar. No entanto, temos de perceber que rapidez nem sempre é bom sinal, e muito menos de eficiência, pelo que o 8 de Paus recorda-nos que o mais importante é mantermos o foco em quem somos, nos nossos objectivos, nos nossos propósitos. É tempo de nos libertarmos da nossa habitual dispersão e compreender o que o Universo nos tem proporcionado. É tempo de direccionarmos a nossa energia para o que é realmente importante na nossa vida, sem tempo para desvios que, tantas vezes, as nossas fragilidades e os nossos medos nos fazem viver. Agora é preciso enfrentar essa faceta da nossa vida e permitirmo-nos avançar, dar um rumo e um propósito, focarmo-nos no que pretendemos obter e trabalhar arduamente para isso, sem medo, sem vitimização, sem dúvida, mas sim com alegria, celebração, entusiasmo e o mais profundo e belo Amor por nós mesmos!

Outros Artigos

Deixe o seu comentário