Conexões dos Signos para Junho

Conexao201506

Novo mês, novos caminhos, novas portas que se abrem. Embora Junho se inicie ainda com Mercúrio retrógrado, o que nos fará ainda sentir muita da pressão que Maio nos trouxe, a verdade é que este mês reserva-nos também energias mais leves, que nos permitirão dar alguns passos em frente, nomeadamente após o solstício do dia 21, com a entrada do Sol em Caranguejo e a energia do Sol nos presentear com o seu momento mais alto do ano. É preciso aproveitar esta escalada e trazer nova energia às nossas vidas. É disso que nos falam as Conexões para os Signos deste mês.

As Conexões para a energia dos Signos trazem-nos, juntamente com a energia do Tarot, mensagens, orientações e ideias para as doze dimensões do Ser que estão sempre a operar connosco. Através destas conexões, poderão ver a mensagem quer para o Signo Solar (o “nosso” signo), quer para o Signo Ascendente (se for diferente), e compreender ainda melhor o trabalho a fazer neste mês! Para além da Conexão dos Signos, e já para começar, uma mensagem geral para os próximos dias!

 

Junho

O mês que passou, com Mercúrio a tomar o seu movimento retrógrado, trouxe-nos uma certa imprevisibilidade e muita pressão, algo que tem mexido connosco, mesmo que não tenhamos consciência disso. Contudo, é necessário muitas vezes colocar-nos fora da nossa zona de conforto para reconhecermos os nossos verdadeiros potenciais. É isso que o Mago que nos vem trazer para este mês. Com todo o trabalho que temos feito, com todas as provações e questões a que temos sido colocados, é tempo de dar um precioso passo no nosso caminho. Não há mais tempo a esperar para reconhecermos os nossos dons e capacidades, não há mais tempo a desperdiçar para assumirmos o nosso verdadeiro caminho e materializarmos aquilo que, em nós, temos vindo a sentir que é necessário fazer para podermos mudar as nossas vidas. Esta carta lembra-nos que, em primeira e última instância, os únicos e verdadeiros donos do nosso caminho somos nós mesmos. Cabe a cada um de nós permitir-se ser um verdadeiro canal de mudança na sua própria vida, fazendo aquilo que precisa de ser feito, largando a zona de conforto, os medos e as dúvidas, e dando passos no escuro, acreditando, tendo fé, que nos dirigimos para a Luz. Embora a primeira quinzena deste mês ainda seja de vivência duma energia mais forte e intensa, a realidade é que o grande propósito é que possamos ver e abraçar as nossas capacidades, reconhecendo que fomos nós que as escolhemos, assim como aos desafios, para fazer a grande caminhada que é a vida. Façamos, por isso, deste mês, um voltar à superfície, um respirar fundo, e nos permitamos materializar, sem medo, tudo o que queremos, de coração e humildemente, com amor e luz, para as nossas vidas.

Carneiro

Depois do trabalho que temos feito e de todas as energias que têm vindo a ser trabalhadas, é tempo de compreender, aceitar e integrar todas as aprendizagens que nos foram colocadas na vida e, dessa forma, permitirmo-nos fechar um ciclo e abrir outras portas que, neste momento, necessitam de ser abertas. O Mundo é a última carta dos Arcanos Maiores, aquela que nos mostra que todo o percurso feito tem um propósito, o de aprendizagem e evolução. Fechar um ciclo, seja ele de que natureza for, nas nossas vidas, implica compreender o porquê de ele ter passado por nós, as suas lições, os seus ensinamentos, o que ele transformou e, acima de tudo, aquilo que ele revelou em nós. Nada nas nossas vidas acontece por acaso, mas com muita facilidade permitimos que uma boa parte do propósito de um percurso nos passe ao lado, simplesmente por não reconhecermos a importância de tudo o que vivemos e aceitarmos a mudança que ele nos trouxe. É preciso aproveitar a energia que iremos viver este mês para fechar todos os ciclos que estão prontos a ser fechados, todos os ciclos que necessitam de ser fechados, e permitir abrir as portas ao novo, deixar o ar puro da mudança entrar nas nossas vidas e, com toda a aprendizagem que foi feita, bem integrada no nosso ser, dar os primeiros passos no novo caminho. É um fim que permite um novo início, e a cada novo início existem inúmeras possibilidades que podemos aproveitar. Apenas quando saímos da nossa zona de conforto e aceitamos cada ciclo vivido, integrando-o, é que poderemos, verdadeiramente, agarrar o que a vida tem para nos oferecer.

Touro

Desde o início do ano que Touro tem tido maravilhosas energias para trabalhar, e este mês não é excepção. O Imperador é uma extraordinária carta que traz a energia e a força para avançarmos nos nossos propósitos e objectivos, para superarmos os nossos obstáculos e desafios, para alcançarmos vitórias e sucessos. No entanto, para o fazermos, precisamos de reconhecer a essência que esta carta nos vem transmitir. O Imperador relembra-nos que apenas nos tornamos os verdadeiros donos do nosso caminho e da nossa vida quando reconhecemos que está em nós o poder e a responsabilidade de decidir e executar cada passo. Ninguém pode fazer aquilo que a nós está destinado, ninguém pode trilhar o nosso caminho, mas a verdade é que muitos podem exercer poder sobre a nossa vida, e até influenciá-la, se assim o permitirmos, se assim nos deixarmos levar, amarrados pelo medo e pelo receio de assumir o nosso poder pessoal. Este mês é necessário que saibamos definir e direccionar a nossa vida, compreender que somos líderes sábios das nossas próprias vidas quando não temos medo de conhecer o nosso poder e de assumir a responsabilidade de cada caminho, de cada decisão. No entanto, se tentarmos fazê-lo desprovendo-nos de emoções, contendo-as, esquecendo a nossa essência, o resultado pode ser desastroso. É preciso, em cada decisão, ainda que ela tenha de ser tomada com força e determinação, saber olhar a bússola que está dentro de nós, no nosso coração, pois embora esta carta seja de emoções contidas, a realidade é que nós somos seres emocionais e nunca nos podemos esquecer disso. Se assim nos respeitarmos, então este mês poderá trazer-nos grandes avanços e vitórias.

Gémeos

Embora maior parte do mês se passe com o Sol a brilhar na energia deste signo, o facto do seu regente, Mercúrio, estar em movimento retrógrado traz um desafio extra para esta energia. O Eremita é uma carta muito desafiadora para a dispersa energia de Gémeos, mas que poderá ter um efeito tremendamente poderoso. É tempo de parar, de acalmar o movimento frenético que tantas vezes rege e nossa vida, e olhar para dentro de nós. Quando não sabemos quem somos, nem para onde caminhamos, podemos ser qualquer coisa e ir para qualquer sítio, não fará diferença. O problema é que, nesse meio tempo, a dispersão e o medo, que tantas vezes mascaramos de curiosidade, apenas para nos enganarmos a nós mesmos, desfocam-nos daquilo que é o nosso verdadeiro propósito. Esta carta pede que paremos um pouco, observemos o nosso caminho, sem focalizar nem projectar um suposto futuro, sem viajar na nossa imaginação, mas compreendendo qual o próximo passo a dar, pois é dando cada passo, um de cada vez, que chegaremos ao nosso grande destino, que realmente encontraremos a nossa verdadeira essência. É tempo de deixarmos de dar tanto espaço aos estímulos exteriores e compreendermos e aceitarmos que existe sabedoria em nós para fazer o nosso caminho. É a nossa própria luz interior que nos pode mostrar qual o passo a dar, mas para isso é preciso reconhecê-la em nós, reconhecer essa sabedoria, compreendendo e aceitando que não somos apenas aquelas eternas crianças que buscam mais e mais, incessantemente, que exploram um brinquedo novo até se cansarem, depois de descobrirem todo o seu potencial. Contudo, a vida traz-nos algo diferente, pois nada tem limite, a não ser aquele que nos auto-impomos, nada está totalmente descoberto, muito menos a nossa própria capacidade de nos superarmos.

Caranguejo

Depois de um mês duro e intenso, com uma forte energia a ser vivida e, com certeza, muitos sentimentos e pensamentos a serem integrados, este novo mês convida-nos a libertarmos muita dessa energia acumulada. O desafio foi forte, mas sem dúvida necessário. No entanto, para podermos compreender, verdadeiramente, o propósito de toda a provação, é preciso libertarmos a energia em excesso que fomos recolhendo. O 5 de Paus é uma carta que, embora nos traga a imagem de um conflito, diz-nos que, por vezes, é preciso haver uma certa fricção nas nossas vidas, atritos que permitem libertar algumas energias e que nos ajudam a sentirmo-nos um pouco mais leves. Com tudo o que temos vivido, é preciso trazer energia e movimento, até porque temos vivido fortes embates de transformação interior e exterior. Por isso, é chegado o tempo de nos erguermos e sacudirmos de nós todos aqueles sentimentos que nos têm prendido, desde a insatisfação aos receios e medos, compreendendo que tal só é possível se nos movimentarmos na nossa vida, se a agarrarmos com as duas mãos, se nos permitirmos ir à luta, cair e voltar a levantar, ainda que, tantas vezes, cada queda implica dor, cada levantar de novo implica persistência. O que esta carta nos vem pedir é que saibamos aceitar os desafios da nossa vida e enfrentá-los com entrega, gratidão e, quem sabe, até permitindo-nos divertir com todo este processo. A vida só se torna uma luta se assim a assumirmos e o decidirmos viver, pois se vivermos cada processo como um desafio que nos fará crescer e nos levará mais longe, então, a vida passa a ser uma fantástica aventura.

Leão

Se os últimos tempos têm sido mais fortes e intensos para a energia deste signo, este mês traz-nos algum descanso e um renovar de energias, embora nos esteja a ser pedido um bom desafio. O Sol é a mais luminosa e a mais forte carta dos Arcanos Maiores, representando a beleza do reconhecimento da nossa essência, da nossa verdadeira beleza, voltando a quem nós realmente somos e deixando para trás um passado de dualidade, de ego, medos e dúvidas. Ainda que o caminho tenha vindo a ser difícil, é com a alegria, com a inocência e com a entrega singulares, como se fôssemos ainda crianças, dispostas a descobrir o mundo que nos rodeia, sem medo nem restrições que apenas nós, os adultos, temos, que podemos, verdadeiramente, ultrapassar todos os obstáculos. É necessário sermos nós mesmos, apenas nós mesmos, reconhecermos a nossa individualidade, o nosso brilho, o nosso Eu, e permitirmos que tudo isso possa ser visível, possa evidenciar-se. Não é com medo e receio que poderemos encontrar toda a felicidade que tanto almejamos, não é com dúvida que poderemos escalar a montanha, superar todos os obstáculos, mas sim de coração aberto, sentindo pulsar em nós a vida que escolhemos. É tudo isto que iremos viver este mês, que nos pede que saibamos abraçar a vida e realmente vivê-la, sem pensar nem controlar tudo, sem ficarmos fechados nas nossas dúvidas e medos, avançando, determinados, permitindo que a nossa essência se manifeste e que possamos trazer até ao mundo a beleza do que temos para dar, deixando de apenas passear, de apenas sobreviver, mas sim entregarmo-nos, com confiança, a cada passo do nosso caminho.

Virgem

Os primeiros meses deste ano foram intensos para a energia de Virgem, e Junho não será excepção. Se observarmos tudo o que temos vindo a viver, vamos compreender que houve um conjunto de aprendizagens feitas, lições preciosas que agora são necessárias de ser assimiladas e, acima de tudo, colocadas em prática. É isso que o 8 de Ouros, a carta que nos reserva o Tarot este mês, nos vem pedir. Chegou o tempo de pôr em prática tudo o que aprendemos, tudo o que integrámos, é tempo de nos focarmos nos nossos objectivos e passar da conceptualização à materialização. Esta carta relembra-nos que é com a prática, com a dedicação e a entrega, acreditando sempre que podemos fazer mais e melhor, que poderemos encontrar um verdadeiro caminho de mestria. É com humildade e devoção ao que pretendemos fazer nas nossas vidas que poderemos aceitar o desafio de nos aperfeiçoarmos, mas tal só é possível quando não caímos na tentação de não ter paciência, de querer resultados rápidos ou de tentar caminhos fáceis, sem grande esforço. Se assim o fizermos, compreenderemos uma das grandes essências do nosso signo, a de nos colocarmos ao serviço, em prol de algo maior que nós mesmos. Só com experiência, sem medo de falhar, sem autocrítica bloqueadora e destruidora, poderemos encontrar formas mais úteis e perfeitas de trabalhar, de atingir os nossos objectivos, de nos superarmos a nós mesmos. Este mês é preciso reconhecer o esforço do nosso trabalho e entregarmo-nos a ele sem dúvidas ou medos, sem procurar alternativas convenientes, mais fáceis, pois não é o facilitismo, mas sim o compromisso, que nos levarão a cumprir o nosso propósito.

Balança

A vida, para a energia de Balança, é feita duma busca incessante de equilíbrio, sabemos bem disso, e a cada novo ciclo, a cada novo começo, algo necessita de ser largado, ainda que isso nos custe e mexa na nossa essência emocional. Se o mês que passou nos trouxe a energia de um novo ciclo, o 8 de Copas, este mês, lembra-nos que coisas novas na nossa vida só têm lugar se o seu espaço estiver livre, se no nosso coração não estiverem mais aquelas coisas antigas que já não fazem parte. Muitas vezes insistimos em não limpar o nosso coração, em guardar nas nossas vidas sentimentos, pessoas e situações que, embora nada de mal se passe com elas, não nos magoem nem nos façam sentir mal, também nada de bom nos trazem, não nos aquecem o coração, não nos fazem avançar. Insistimos, apenas porque procuramos sempre equilibrar tudo e achamos que, se limparmos aquilo das nossas vidas, vamos cair, vai-nos faltar algo. No entanto, não percebemos que, quando vivemos sob esta premissa, não permitimos que a felicidade, a alegria, a prosperidade e o amor entre nas nossas vidas, trazendo uma lufada de ar fresco e renovando quem nós somos. O que esta carta nos vem pedir é que saibamos largar de todas essas coisas que estão estacionadas nas nossas vidas mas que nada mais nos trazem do que memórias, que apenas impedem aquelas experiências e vivências novas, que tanto queremos, de chegarem à nossa vida. Por vezes custa libertarmo-nos, ainda mais quando tudo aparenta estar bem, mas este mês é necessário observarmos a nossa vida sob esse prisma e ter a coragem e a audácia de querermos mais e melhor para nós.

Escorpião

Os últimos meses foram fortes e desafiadores para a energia do signo de Escorpião, trazendo muitos obstáculos a superar e muitas provações no caminho. No entanto, este mês, a energia que o 9 de Copas nos traz para trabalhar é substancialmente diferente. Nem tudo no nosso percurso tem de ser esforço e sofrimento, embora, sem dúvida, reconheçamos que é através da dor que podemos aprender e crescer. Muitas vezes também, e este é um desses momentos, é preciso relaxar e deixar a vida trazer até nós as suas maravilhas, a diversão e a alegria, que também fazem, e bem, parte do processo. É quando nos permitimos desligar um pouco dos problemas e das questões que tanto nos transtornam, que reconhecemos um dos mais espantosos princípios da vida, o da sua fluência, que nos mostra que tudo corre num ritmo muito próprio e que, quando tentamos, das mais diversas formas, controlar os vários factores, ainda que seja com o intuito maior de resolver um problema ou encontrar uma solução, impedimos que ela nos mostre a sua luz, o caminho mais belo. Óbvio também que não podemos simplesmente ignorar tudo e passar a viver num mundo de constante diversão, à espera que a vida se resolva por ela mesma, mas o carácter soturno e profundo, que tantas vezes nos caracteriza, é, ele mesmo, impeditivo de avançarmos. Insistimos tantas vezes em olhar apenas para baixo em busca de luz e vida, mas esquecemo-nos que o sol que nos ilumina está sempre lá em cima, no alto, e que só poderemos encontrar luz dentro de nós quando permitimos que essa luz dos céus, a luz da fé, do amor, da esperança, reflicta também no nosso coração e o alimente.

Sagitário

Depois de um início de ano com muita energia positiva, estes dois últimos meses trouxeram-nos alguns desafios um pouco mais intensos. Agora, é tempo de nos focarmos novamente no nosso caminho, compreendendo que todas as aprendizagens que fizemos tiveram como propósito apenas uma coisa, mostrar que apenas nós somos os donos das nossas vidas e que nos cabe a nós tomar as decisões sobre cada passo a dar. O Rei de Espadas é uma carta forte e, por vezes, muito mal compreendida, pois o seu carácter mais racional é visto, erradamente, como algo negativo. No entanto, ele recorda-nos que os grandes caminhos e as grandes decisões só podem ser abraçados quando estamos em perfeita sintonia com a nossa essência, quando temos a total consciência e discernimento sobre cada passo a dar. Este mês, perante tudo o que temos vivido e todas as aprendizagens feitas, é preciso olharmos a vida pelo peculiar olhar da nossa energia sagitariana, o olhar da certeza inabalável sobre o nosso caminho que apenas a fé em nós mesmos pode trazer, quando é alimentada pela humildade e pela confiança. É chegado o momento de tomar decisões sobre algumas áreas ou algumas questões nas nossas vidas, ainda que não tenhamos todos os factores sob controlo, até porque já percebemos que tal coisa nunca irá realmente acontecer, mas compreendendo que apenas com um salto de fé, consciente e determinado, sem lugar a medos ou dúvidas, conseguiremos transformar o que necessário é de ser transformado, abrir portas e caminhos e encontrar novos rumos. A fé que colocamos no nosso caminho advém do conhecimento que temos sobre nós mesmos, do discernimento sobre cada escolha, algo que, embora profundamente espiritual, tem um lado de vivência saudável e plena da nossa mente. Se estivermos em sintonia com tais premissas, então todas as decisões serão as adequadas, todos os cortes feitos serão os necessários, todos os passos dados serão os certos, pois somos movidos pela nossa essência e não pelo nosso ego, dominando, de forma profunda e correcta, a mente, em prol do propósito que abraçámos nesta vinda à Terra.

Capricórnio

Se o último mês nos deu algumas tréguas nos desafios que temos vindo a viver, foi para que recarregássemos as baterias para os próximos desafios, nomeadamente o que este mês nos traz. A Morte é uma carta muito forte que nos vem trazer mais cortes e mais transformações. Com Plutão, em movimento retrógrado, a continuar o seu trabalho no nosso signo, e Saturno, regente do nosso signo, também em movimento retrógrado, neste mês a sair temporariamente de Sagitário e a voltar a Escorpião, signo com o qual a Morte está profundamente ligada, chegou o tempo de mais uma profunda limpeza e purificação no nosso caminho. Podemos achar que temos feito muitas transformações, muitas limpezas, que isso nos tem desgastado, mas a realidade é que é necessário chegarmos à origem das nossas questões, rasgar mais padrões de Ego que nos dominaram durante tantos e tantos anos, permitirmo-nos morrer para renascer, plenos do nosso verdadeiro poder, aquele que move montanhas, que permite superar e ultrapassar todos os obstáculos, aquele que, livre do pensamento egoísta de materialismos e egocentrismos, permite-nos rasgar o casulo e voarmos mais alto. Observemos a nossa vida e sejamos capazes de ver o que ainda está preso a velhas estruturas, a velhos medos e receios. Este mês vamos ser confrontados com a necessidade de nos libertarmos de todas essas questões que conseguirmos (e quisermos) identificar. Fazê-lo só depende de nós, da nossa vontade e determinação em criarmos um novo caminho, um novo rumo. Não é apenas olhando para o topo da montanha que temos a certeza que lá chegaremos, é também focando qual o passo a dar de seguida, sem perder o rumo, mas olhando sempre para dentro de nós, para o que precisamos de libertar, para o que nos pesa nesta caminhada. À medida que o vamos fazendo, vamos chegando a camadas mais profundas da nossa transformação, o que, embora seja mais duro e difícil de fazer, mais belos e luminosos resultados permite obter.

Aquário

Se, nos meses que passaram, fomos convidados não só a reflectir, como também a agir sobre o caminho das nossas próprias vidas, este mês temos um grande e forte desafio, trazido pelo Rei de Ouros, o de assumir a responsabilidade da criação de tudo o que temos nas nossas vidas e compreender que, se assim quisermos, poderemos também criar aquela riqueza que tanto procuramos. Este é um Rei poderoso, que nos mostra que é com determinação, coragem e persistência que poderemos atingir os nossos objectivos, criar o verdadeiro valor que pretendemos nas nossas vidas e dominarmos o nosso caminho. Chegou o tempo de ultrapassarmos os nossos medos e os nossos receios, de assumirmos a responsabilidade do nosso caminho e reconhecermos que é apenas nas nossas mãos que está o caminho das nossas vidas. Enquanto nos permitirmos estar presos à crença de que a nossa vida depende dos outros ou de situações exteriores a nós, dificilmente compreendemos que essas mesmas questões, na realidade, são facilmente resolvidas quando reconhecemos o nosso verdadeiro poder, a nossa originalidade, a nossa individualidade. Este mês, saibamos tomar o controlo das nossas vidas, não aquele que é movido pelo ego, mas aquele que representa a consciência de que somos nós os verdadeiros motores da nossa vida e que, se assim quisermos, nada nem ninguém nos poderá parar. O segredo é, tão pura e simplesmente, o de termos dentro do nosso coração a humildade de sabermos ser nós mesmos, de reconhecermos os nossos dons e capacidades, de pararmos de fugir de nós mesmos e assumirmos o nosso caminho, sem limitações e sem ilusões.

Peixes

A nossa energia pisciana é, por natureza, mutável e, de certa forma, um pouco instável, nomeadamente quando insistimos em moldarmos a nossa natureza, não aceitando a nossa verdadeira essência e minando-a com aquilo que é o oposto do nosso Eu. No mês passado foi-nos pedido foco, foco em nós mesmos, nos nossos objectivos e nos nossos propósitos. Foco não é limite nem restrição, é canalização da nossa energia num sentido. No entanto, este mês a energia do 9 de Espadas vem-nos trazer um poderoso e muito importante alerta, o de que é preciso focar a nossa energia emocional em nós mesmos e não dispersá-la naquilo que Peixes faz de melhor, na preocupação com o outro, com o mundo inteiro que o rodeia, como mais uma forma de se deslocalizar do seu centro, de si mesmo. Preocuparmo-nos com os outros, e até connosco mesmos, nunca levou nem nunca levará a qualquer lado, pois apenas nos traz um peso emocional excessivo e não nos permite encontrar a única solução que sabemos viver, a do Amor. É preciso entendermos que a nossa grande missão e o nosso grande caminho é esse mesmo, o do grande Amor, da entrega ao próximo, mas que tal não pode ser feito sem nos amarmos a nós mesmos, de forma tão intensa e incondicional que, quando ajudamos alguém ou quando fazemos algo na nossa vida, não estamos a dar da nossa própria energia, mas sim a sermos um canal para essa energia divina universal que é a fonte de toda a criação e para a qual somos privilegiados canais. Este mês, larguemos das preocupações para com os outros, transmitindo-lhes apenas boas vibrações e Amor, foquemo-nos em nós mesmos e no nosso caminho, pois não há mais tempo a perder com aquilo que não é nosso. Reconheçamos que todos os que nos rodeiam, nomeadamente aqueles que são alvo das nossas preocupações, são espelhos de nós mesmos, e com eles também existe algo a aprender sobre nós mesmos, basta que nos desliguemos do seu problema, lhes levemos o mais puro amor que temos para dar e olhemos profundamente para nós.

Outros Artigos

Deixe o seu comentário