O Caminho para a Unidade

20151110

Boa tarde!

Os tempos que vivemos são importantíssimos, não por tudo o que está a acontecer, não pela forma como está a acontecer, mas sim porque são passos importantes para nos libertarmos de um caminho dual e abraçarmos, progressiva e fortemente, uma maior unidade. Não acredito que a verdadeira Unidade possa ser vivida, pelo menos nos próximos largos tempos, aqui na Terra, pois não é esse o propósito do nosso planeta. Aqui, a ideia, o propósito, é de vivenciarmos, experienciarmos e nos confrontarmos com a nossa dualidade, com a separação em relação ao Todo, pois só dessa forma poderemos aprender, crescer e evoluir, levando de volta tudo o que somos para quando voltarmos à Fonte, à Unidade.

Acredito, no entanto, que caminhamos nesse sentido, que implica, em termos terrenos, desapegarmo-nos, libertarmo-nos das questões do Ego que nos aprisionam, para que possamos encontrar caminhos comuns, de partilha, de amor ao próximo, de entreajuda e de abertura do coração. Para tal, também, é preciso libertarmo-nos da vivência das mágoas, dos ódios, dos rancores, das guerras pelo poder e da ganância. Sem esse trabalho, é a sombra que nos domina, nos carrega, nos alimenta e é o medo, que é a ausência de Amor, a energia que nos move (ou será mais correcto dizer, que nos paralisa).

Amanhã vivemos a Lua Nova de Escorpião e nenhum tema seria mais apropriado do que este para esta reflexão. Vejo no mundo que nos rodeia muita ganância e ódio, muita raiva, resultado de anos, décadas, séculos de olharmos e nos compararmos com os outros, de nos esquecermos de nós, de acharmos que é lá fora que estão as soluções para um caminho que só nós podemos fazer. Quando somos confrontados com tal imposição do Universo, temos dois caminhos a seguir, ou somos capazes de encarar tal vivência, tal necessidade, enfrentando os desafios colocados, permitindo morrer para podermos renascer, com mais força e vida, ou então fechamo-nos, tornamo-nos vítimas, somos os coitadinhos e a culpa da nossa desgraça é dos outros.

Nestes momentos, lembro-me sempre de uma expressão célebre de uma igualmente célebre saga, A Guerra das Estrelas, dita por um personagem forte e sábio, o Mestre Yoda: “O medo é o caminho para o Lado Negro da Força. O medo leva à raiva. A raiva leva ao ódio. O ódio leva ao sofrimento.” Pelo contrário, é o Amor que nos liberta, que nos permite o respeito, a aceitação, o foco em prol de um Bem Superior, não do nosso Ego, mas sim para que, através da minha acção, do meu serviço, eu possa contribuir para uma sociedade melhor, para um mundo melhor, para uma humanidade maior. Este é, a meu ver, o verdadeiro caminho para a Unidade, o vibrar em Amor, o liderar no sentido do Amor, o criar com Amor, o partilhar o Amor, e tal é possível em todos os lados, em todos os vértices e em todas as faces da nossa sociedade, ainda que, à primeira vista, tal pareça incompatível.

Boa semana!

Related Posts

Leave a comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

X