Porquê Estudar Astrologia?

porqueaprenderastrologia

A Astrologia cruzou-se no meu caminho numa altura muito complexa da minha vida, há cerca de quinze anos, num momento em que questionei muito do que achava certo, do que estava há bastante tempo perfeitamente definido. Não foi nesse momento que decidi mudar radicalmente de caminho, tal só aconteceu alguns anos mais tarde, mas esse momento trouxe-me uma percepção extraordinária, a de uma certa familiaridade, uma sintonia, com a linguagem astrológica.

Esse complexo e intenso momento, por volta dos meus 21 anos, levou-me ao mais próximo que conheci de um esgotamento, um descer às profundezas do meu ser e à necessidade de compreender algo que estava dentro de mim a precisar de rasgar as minhas entranhas e ganhar voz própria. Ainda que eu nada soubesse de Astrologia na altura, estava nesse momento a viver um período importante do ciclo de Saturno, aqueles ciclos de 7 anos que tanto falamos, e, como viria a entender mais tarde, a plantar a semente que, aos 28, um ponto chave desse ciclo, me levaria a transformar por completo a minha vida e a abraçar um caminho de desenvolvimento pessoal e espiritual.

Na verdade, a Astrologia foi o meu primeiro contacto consciente com o mundo dito esotérico. Quando, nesse momento complexo, por alguma razão que não me recordo, comecei a interessar-me por olhar para mapas astrais, descobri que o que ali via, aqueles símbolos numa mandala colocados, em interacção subtil, levavam-me a dizer e a transmitir coisas que faziam sentido a quem ouvia. Nesse momento, foi como se estivesse perante uma língua que nunca tinha ouvido nem lido, mas que me apercebi que conseguia ler com alguma facilidade, e até compreender algum do seu sentido, mesmo não tendo a capacidade, naquele momento, de construir uma história por completo.

Nos anos seguintes, de forma totalmente autodidacta, comecei a dedicar-me ao estudo do mais básico da Astrologia, o significado dos signos, das casas e dos planetas, a juntar algumas peças dum puzzle que, compreendi, era muito mais complexo do que poderia imaginar. Partindo dos meus dados de nascimento, com o meu mapa astral sempre como ponto de base, ia investigando na internet e retirando algumas conclusões, compreendendo algumas das questões que aquele momento que tinha sido o meu nascimento representavam como um caminho a percorrer, entendendo alguns dos meus desafios e traços de personalidade. Paralelamente, algumas questões começavam a percorrer o meu espírito, surgiam cada vez mais fortes, constantes e pertinentes, e tudo o que encontrava sobre Astrologia trazia-me uma acha que adicionava a uma fogueira já muito forte.

Ao despertar mais profundamente para o meu caminho, nomeadamente com a entrada do Tarot na minha vida, senti a necessidade de sedimentar, estruturar e amplificar os meus conhecimentos de Astrologia, abraçando um Curso, e, ainda que já tivesse muitos conhecimentos de base, de coração aberto entreguei-me a este caminho desde a sua raiz, como uma criança que entra na escola pela primeira vez.

Aprender Astrologia é, para mim, iniciar uma verdadeira volta ao mundo, é circunscrever o meu Ser num percurso de descoberta pessoal, desde as minhas origens até ao retorno a mim mesmo, com maior consciência de quem sou. Em cada ponto que chego nesse caminho, conheço-me um pouco melhor, recolho um pedaço de mim que precisa de ser descodificado, compreendido e integrado. Apenas quando faço esse percurso em mim consigo também auxiliar outros a fazê-lo, pois quando mergulho no meu Ser tenho a capacidade de projectar essa energia sobre quem dela também necessita para poder crescer e evoluir.

Quando começamos a aprender esta linguagem divina, começamos também a compreender que no Universo, e nomeadamente no nosso sistema solar, base da nossa existência, não existem acasos, que tudo está interligado e que tudo é energia. Sem um dos planetas do nosso sistema, um que fosse, a nossa existência estaria decerto ameaçada, se é que seria possível de acontecer, sequer, o que nos mostra que estamos interligados com essas mesmas energias, que elas nos moldam, nos conduzem, nos auxiliam a cumprir um propósito. Na verdade, é assim que compreendemos também que o momento do nosso nascimento é uma assinatura, a representação duma escolha do nosso espírito no caminho da sua evolução. Então, tudo o que somos está marcado nesse momento, traduzido pelo nosso mapa astral, a nossa identidade, a base de tudo o que somos e que temos para construir.

Aprender Astrologia, abraçar um Curso de Astrologia com consciência, é escolher conhecermo-nos mais profundamente, é escolher fazer a tal volta ao mundo, ao nosso mundo, compreender que descobrir quem somos não tem a ver com um destino, um objectivo, mas sim com recolher parcelas da nossa alma e retornar a nós mesmos, encaixando-as no nosso ser, integrando-as na compreensão de quem somos e, assim, verdadeiramente, evoluir. Ao aprendermos Astrologia, não aprendemos apenas a interpretar planetas nas casas e nos signos, a ligá-los através de aspectos e a entender os caminhos pelas técnicas de previsão, aprendemos sim a olhar para nós, a ler o mapa do nosso caminho na encarnação que escolhemos, a amplificar assim o nosso livre-arbítrio e ter mais consciência de quem somos e do nosso caminho.

Quando senti o apelo do meu coração para construir um Curso de Astrologia, desenhei-o como um verdadeiro percurso de entendimento e compreensão de nós mesmos através do nosso mapa astral, aprendendo a descodificar e a integrar o que ele nos tem para ensinar. Ao fazê-lo, compreendemos também que a Astrologia é uma linguagem divina e que, se ela nos permite aceder à nossa verdadeira identidade, então também nos mostra a nossa Centelha Divina, permitindo-nos olhar para quem somos com um outro olhar, mais pleno, profundo e belo, entendendo também a integração de quem somos num tempo e num espaço, numa sociedade e numa humanidade num estágio de evolução, e percebendo, por fim, o que de único e especial temos a dar ao mundo.

Aprender Astrologia não é o caminho de um curso, mas sim o de uma vida, pois a Astrologia não é uma ciência, mas sim uma arte, e a arte provém do coração, da alma, da manifestação do espírito em nós. Da mesma forma, aprender Astrologia, ao permitir conhecermo-nos profundamente, ensina-nos a viver, a sermos nós mesmos, a abraçar desafios e obstáculos e a transformá-los em degraus para podermos subir mais alto e atingir patamares nunca antes por nós alcançados. Essa é a proposta que coloco na mesa em cada aula, e é também a que me coloco a mim mesmo, a de que este não seja um simples curso, mas sim uma iniciação, um despertar, que possa levar cada um a uma descoberta e a uma revelação profundas de si mesmo, recordando, assim, quem realmente escolheu ser nesta vida.

Outros Artigos

Deixe o seu comentário