fbpx
Avenida Miguel Bombarda, 21 - 7º Dto - 1050-161 Lisboa

Os degraus da nossa caminhada

20150216

Boa tarde!

Muitas vezes digo que o nosso crescimento e desenvolvimento pessoal e espiritual assemelha-se a subir uma escadaria, daquelas bem grandes. Os primeiros degraus, os primeiros lances, são relativamente fáceis e sentimo-nos muito entusiasmados, de tal forma que, quando encontramos um patamar, nem nos preocupamos com ele, seguimos logo para o próximo lance.

Isto funciona durante alguns lances, mas quando chegamos mais alto, já estamos mais cansados e, invariavelmente, os obstáculos, os medos, as dúvidas e os receios chegam. Olhamos para cima e vemos a quantidade de degraus que se colocam à nossa frente e perguntamo-nos se vamos conseguir, se estamos à altura, se este é o caminho correcto. Olhamos para trás e parece-nos tão pouco o que já percorremos, que nem compreendemos que a perspectiva de quem está em cima faz com que tudo o que foi percorrido pareça muito mais pequeno do que realmente é.

Nesse momento é preciso parar e compreender onde estamos. Tantas vezes queremos caminhar mais rápido do que realmente podemos e do que realmente precisamos. Tantas vezes, com a ânsia de chegar mais longe, muito rápido, esquecemo-nos de que é vivendo o aqui e o agora, dando este passo, neste momento, que conseguiremos lá chegar. Só quando estamos atentos ao caminho, valorizando cada passo que damos, temos a capacidade de ver a beleza de tudo o que nos rodeia, e que isso reflecte a visão que temos de nós mesmos.

Tantas vezes, enquanto subimos a escadaria da nossa caminhada, fortes provações nos são colocadas, e quanto mais alto subimos, mais intensas elas são. É preciso parar e olhar para dentro de nós, compreender quem somos naquele instante, sermos gratos por tudo o que já caminhámos, por todo o caminho que ainda temos pela frente, ainda que não o consigamos vislumbrar, olhar à nossa volta e ver o que nem sempre é visível: nunca estamos sozinhos na nossa caminhada.

Quando o fazemos, apercebemo-nos também que chegámos a um patamar e que, na nossa caminhada, estes momentos planos, em que parece não acontecer nada, são tão importantes quanto cada degrau que subimos. Eles permitem-nos descansar, permitem-nos sossegar o nosso espírito, repor energias para o próximo lance e depois avançar. Isso é tão importante quanto lutar e seguir em frente, pois é apenas desta forma que podemos ver-nos com os olhos com que Deus, a Fonte, nos vê, em cada instante, a cada momento.

Acredito que Deus dá aos seus melhores guerreiros as batalhas mais duras e difíceis. No entanto, será que conhecemos o guerreiro que somos?

Boa semana!

Posts Relacionados

Deixa um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.