fbpx

Uma nova realidade

20150406

Boa tarde!

Ontem, na final do programa “Achas Que Sabes Dançar”, um programa de talentos de dança, na televisão, a um determinado momento, a apresentadora pergunta a um dos concorrentes, após o último solo que este efectuou no programa, o que faria com o dinheiro que receberia, caso ganhasse o programa. Nesse momento, a minha expressão, que tinha sido de êxtase ao ver alguém entregar-se a um número de dança, fazendo aquilo que, na sua face era visível, é apenas e unicamente aquilo que quer fazer da sua vida, mudou radicalmente, demonstrando a tristeza que senti ao ouvir a pergunta. O concorrente, de tão cansado, creio que nem sequer conseguiu responder, mas recordo-me perfeitamente de olhar para a cara dele e perceber que nem sequer queria, naquele momento, saber da questão do dinheiro.

O mundo em que vivemos desenvolveu-se baseado numa ideia de acumulação de riqueza, de crescimento ininterrupto, de posse e de consumo desenfreado, algo que, nos últimos anos, começou a ser difícil de atingir. Muitas vezes, as pessoas colocam como grande problema e obstáculo para cumprirem o seu caminho, e dedicarem-se ao que realmente gostam e querem fazer, a questão do dinheiro. Sim, o dinheiro faz parte deste mundo e é uma energia muito forte e poderosa. Precisamos dele, pois ainda não somos capazes, por colocarmos o Ego à frente do nosso Eu, de sermos justos e nos darmos em pleno à sociedade, não precisando mais de usar o dinheiro como moeda de troca, pois se estamos a dar o que somos, receberemos também tudo o que necessitamos. O poder do dinheiro na nossa sociedade é, precisamente, fruto do Ego que quer possuir, que quer controlar, que acha que precisa de mais e mais. O dinheiro é uma energia importante e necessária, mas enquanto vivermos em função dele, dificilmente conseguiremos sentir-nos plenos.

Voltando ao início desta reflexão, o que mais mexeu comigo foi estarmos num programa de televisão onde pessoas exprimem um maravilhoso dom, o da dança, que anseiam, mais que tudo, fazer desse seu dom o seu estilo de vida, a sua profissão, aquilo que querem e sabem dar ao mundo. Cada ser humano nasceu com dons, com capacidades, algo que pode e deve desenvolver ao longo da sua vida, algo de único que tem para dar à humanidade. Quando nos dedicamos a dar quem somos ao mundo que nos rodeia, também o mundo nos dá de volta tudo o que necessitamos, dinheiro incluído. O Universo dá-nos sempre o que precisamos para poder crescer, o que merecemos, também, face ao esforço e à entrega. Nem sempre, quase nunca, na verdade, o Universo dá-nos o que achamos que precisamos, o que queremos, nomeadamente quando se trata de dinheiro. Quando usamos os nossos dons com o propósito de ganhar dinheiro, então nunca iremos receber o que realmente nos irá fazer felizes, mesmo que tenhamos todo o dinheiro do mundo. Contudo, quando usamos os nossos dons com o propósito de trazer ao mundo quem somos e de cumprir o nosso propósito, garanto, nada nos falta nem faltará.

Podem dizer que é demagogia, que é muito bonito de falar, que a realidade não é bem assim. Quanto a isso, apenas posso dizer que a realidade das nossas vidas é aquela que, a cada momento, nós mesmos criamos, com a nossa vontade e determinação. Se vivermos reféns de algo que praticamente não existe (sim, já percebemos todos que bem mais de metade do dinheiro que é movimentado nem sequer existe fisicamente), então somos nós que acabamos por deixar de existir (não parece algo familiar?). O mundo está a mudar, porque os velhos moldes deixaram de servir, porque as velhas estruturas revelam-se, a cada dia, podres e a cair. Então, porque manter os mesmos hábitos, os mesmos padrões e as mesmas dependências? É tempo de mudar, é tempo de criar uma nova realidade.

Boa semana!

Posts Relacionados

Deixa um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.